10 de outubro de 2015

Mãe: Um dom pra vida toda!




Quem disse que o caminho de uma mãe seriam só flores? Ser mãe é sentir duplamente todas as dores dos espinhos do jardim da vida. É doação, é sentir tudo esmagar por dentro. Mas indiscutivelmente, esse dom de ser mãe (que infelizmente não é praticado e nem é um dom para todas) é o mais bonito de todos! Dele tiramos sábias lições de que não sabemos absolutamente nada! Entendemos que a nossa permanência aqui é temporária e que o nosso corpo é emprestado. E quando entendemos isso, não precisamos mais nos comparar, nem ser aquilo que não somos. Entendemos que a nossa preciosa história são linhas escritas com ouro, algumas pausas de sangue, borrões por lágrimas e marcas de batom com recheio de amor.

Folhas amareladas pelo tempo, é a vida de uma mãe. Mas com cheiro de folhas fresquinhas, branquinhas no coração cheio de flores. Os espinhos foram apertados com suas mãos arrancando-lhe dores profundas, sinceras e até bonitas. Cicatrizaram, e ali estão para lhes mostrar que tudo pode passar. Quantas vezes, nosso choro foram calados? Deus nos pegou no colo, e nos colocou pra dormir. Só nos restava confiar e lutar. 

Se você me perguntar: O que você fez nessa vida? Eu vou lhe responder: Fui mãe! Amei incondicionalmente, e acima de tudo me tornei alguém muito melhor! Não que eu fosse ruim, mas eu precisava aprender lições de amor que ninguém seria capaz de me fazer entender se não fosse com a prática. Teria que aprender com o meu próprio cansaço. Teria que amadurecer com os meus erros, e me guiar pelos acertos. Teria que seguir intuição, que ouvir pessoas. Tantas, tantas coisas que vou morrer aprendendo! Quando temos um filho achamos que nós vamos lhes ensinar tudo. Não é isso que eu tenho percebido. Eles nos ensinam diariamente muito mais. 

Filho, é uma extensão de nós. Com semelhanças, com diferenças, com individualidades. Ele é do mundo, ao mesmo tempo que pensamos: É nosso! Filho é um passarinho que voa dentro de casa batendo nas paredes querendo sair. Quando sai no mundo, quer voltar, quer um colo seguro e um coração quente pra lhe abraçar. Isso nunca muda. O dom de ser mãe é uma tarefa simples, ao mesmo tempo complexa, que nos arranca lágrimas e risos. Mas é a melhor sensação que poderíamos ter vivido! Ela é verdadeira, é plena, é aquela que nos aproxima mais de nós mesmas, das nossas falhas e defeitos, de aprender a aceitar ou lidar com eles. Ser mãe é um dom espiritual!

(Adriana Silva)

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário