22 de setembro de 2016

Permito-me


Jamais aceitarei que me obriguem a ser o que não sou, que roubem minha paz e o que faz meu coração pular de alegria.
Permito-me ser julgado pela liberdade do sentir. De resto, nada é tão importante quanto agir de acordo com o que sussurra minha alma.

- Vitor Ávila

Nenhum comentário:

Postar um comentário