28 de dezembro de 2016

Mensagem para o Novo Ano


Eu gostaria que o ano novo fosse realmente novo dentro da gente.
Que todos os nossos entulhos emocionais, psicológicos e físicos se despedissem antes do calendário virar.
De nada vai adiantar esse ano novo e chegar se não fizermos diferente. Eu sei que foi um ano difícil. Eu sei que chorei e você também. Eu sei que gritávamos por socorro e parecia que ninguém ouvia... Ah, como eu sei!
Mas eu sei também que apesar de tudo, estamos aqui... Um pouco esfolados, machucados, cansados, mas aqui estamos. E se pudesse definir esse ano eu diria superamos nossos próprios limites.
Eu desejo a todos nós um ano novo dentro de nós. Eu desejo que 2017 seja um ano de paz. É disso que estamos precisando... Para seguir em frente!

Um feliz Ano Novo dentro de você! Que cada dia seja um novo ano, se assim possível for!

(Adriana e Jaqueline)

Abandonando a Infância



Me disseram que não sou mais criança. Que não posso mais cantar minhas músicas infantis, que não posso mais usar roupas com desenhos de bichinhos...
Eu sei, sou adolescente. Cresci por conta própria, adquiri novos hábitos, mudei e me transformei e meus interesses hoje são outros.
Mas gostaria de lembrar que todos nós temos uma criança interior e hora ou outra vamos visitá-la. 
A vida já é corrida demais pra ser sério o tempo todo não acha?
Por isso, quando eu sentir saudade, mesmo sendo uma mulher feita vou visitar o meu baú cor de rosa. Nele estão meus ursinhos, meus brinquedos musicais, meus sonhos de menina e vou matar a saudade. Não importa que me digam que tenho 17, 20, 25 ou 30 anos. Todos nós passamos por ela e sempre que se tem saudade de algo vou visitar dentro de mim por alguns instantes aquela que fui pois apenas com ela posso ser essa que hoje sou. Não vou deixar morrer dentro de mim a parte lúdica, de sonhos e nem matar a minha capacidade de demonstrar todo meu carinho a todos que amo. 

(Adriana Silva)

24 de dezembro de 2016

Linda mensagem de Natal



Um dia, Gabriel acordou, muito contente, era a véspera de Natal, pois para ele era uma data muito importante!

Era o dia do aniversário do Menino Jesus, e também o dia que Papai Noel vinha visitá-lo todos os anos.

Com seus seis aninhos, esperava ansiosamente o cair da noite para voltar a dormir, e no outro dia encontrar em seu pé de meia, o seu presente de Natal, pois nem tinha uma árvore de Natal.

Dormiu muito tarde, para ver se pegava aquele velhinho no “flagra”, mas como o sono era maior que sua vontade, dormiu profundamente.

Mas, na manhã de Natal, percebeu que seu pé de meia não estava lá, e que não havia presente nenhum em toda sua casa.

Seu pai desempregado, com os olhos cheios de água, observava atentamente o seu filho, e esperava para tomar coragem para falar que o seu sonho não existia, e com muita dor no coração, o chama:

– Gabriel, meu filho, vem cá!

– Papai? – O que foi filho?

– O Papai Noel se esqueceu de mim…

Falando isso, Gabriel abraça o pai, e os dois se põem a chorar, quando Gabriel fala:

– Ele também se esqueceu de você pai?

– Não meu filho.

O melhor presente que eu poderia ter ganhado na vida, está em meus braços, e fique tranquilo, pois eu sei que o Papai Noel não se esqueceu de você.

– Mas todas as outras crianças vizinhas estão brincando com seus presentes… Ele pulou a nossa casa…

– Pulou não… O seu presente está te abraçando agora, e vai te levar para um dos melhores passeios de sua vida!

E assim foram para um parque, e Gabriel brincou com o pai durante o resto do dia, voltando somente no começo da noite.

Chegando em casa muito sonolento, Gabriel foi para seu quarto, e “escreveu” para o Papai Noel:

“Querido Papai Noel, eu sei que é cedo demais para pedir alguma coisa, mas quero agradecer o presente que o senhor me deu. Desejo que todos os Natais que eu passe, faça com que meu pai se esqueça de seus problemas, e que ele possa se distrair comigo, passando uma tarde maravilhosa como a de hoje. Obrigado pela minha vida, pois descobri que não são com brinquedos que somos felizes, e sim, com o verdadeiro sentimento que está dentro de nós, que o senhor desperta nos Natais. De quem te agradece por tudo, Gabriel.”

E foi dormir com um lindo sorriso nos lábios.

Entrando no quarto para dar boa noite ao seu filho, o pai de Gabriel viu a cartinha, e a partir desse dia, não deixou que seus problemas afetassem a felicidade dele, e começou a fazer que todo dia fosse um Natal para ambos.

Se um simples garotinho de seis anos, conseguiu perceber que os melhores presentes que se pode receber não são materiais, porque nós não fazemos o mesmo?

Que todos vocês que estão lendo esta mensagem, faça com que cada dia seja um Natal, valorizando a amizade, carinho e todos os sentimentos bons que existem dentro de cada um, e depende somente de nós mesmos para botar pra fora…

Feliz Natal!

Créditos: Belas Mensagens

18 de dezembro de 2016

Continue com fé


Filha, preste mais atenção em você, preste mais atenção nas coisas que construiu. Pense em cada tijolo colocado em seu alicerce. Pense em tudo que já aconteceu e superou. Não esmoreça, não se entregue. Apenas ore, apenas agradeça. Gratidão é bálsamo... Tua jornada foi escolhida por você mesma. Continue com fé."

- Sil Guidorizzi

12 de dezembro de 2016

Sonhos de Natal...


Quem dera meus sonhos de Natal fossem realizados e eu adormecesse como uma criança que acabou de nascer sendo acariciada pela doce voz de mãe.

(Adriana Silva)

4 de dezembro de 2016

Mãe...


Uma mulher é apenas uma mulher, mas uma mãe é um vulcão, um furacão, uma enchente, uma tempestade, um terremoto. Uma mãe é invencível. Não há perda que ela não transforme em força. Não há passado que ela não emoldure e coloque na parede. Não há medo que a mantenha quieta por muito tempo.’
___________________ Crônicas de Martha Medeiros

13 coisas que vc não sabe sobre mães de crianças deficientes:


13 coisas que vc não sabe sobre mães de crianças deficientes:

1) Não somos fortes como todos imaginam. Apenas não nos resta outra opção.
2) A solidão é uma grande companhia. Muitas vezes nos sentimos incompreendidas e um peixe fora d’agua. E não há nada que mude isso.
3) Nos sentimos frequentemente cansadas, com exaustão acima de tudo mental. Temos preocupações simples 24h por dia, que a maioria das mães não tem.
4) Nosso filho não é um pesar, um estorvo, ou um fardo. Lidar com a sociedade em relação às diferenças é que são.
5) Damos valor a coisas tão pequenas, que podemos sentir o sabor da alegria muito mais do que o normal!
6) Não temos “nojinho”. Baba, fluidos e coisas escatológicas, fazem parte da nossa vida.
7) Rótulos como “guerreira”, “abençoada” e “especial”, muitas vezes podem nos incomodar, pois nos dá a sensação de que não podemos reclamar, sofrer, chorar. Somos somente humanas, como qualquer outra mulher. 
8) Aprendemos a não comparar problemas. Descobrimos na prática, que cada um tem a sua dor, e que ela é imensurável, única, intransferível, e não há régua para medir.
9) Responder a perguntas sobre a patologia de meu filho, não é problema, é solução! Temos a missão de informar!
10) O medo nos ronda. Sempre. Mas aprendemos a viver com ele.
11) Sentimos muitas dores físicas e musculares. Fazemos esforços sobrenaturais para conduzir crianças grandes com o controle motor de bebê. 
12) Hospital é um lugar comum para a gente. E por mais que tenhamos intimidade com o ambiente, ainda é um lugar de desconforto. 
13) Apesar das muitas dificuldades, nos sentimos privilegiadas em conhecer o verdadeiro amor, altruísta e genuíno que só essas crianças tem a oferecer! Somos mais felizes do que pensam! =

(Desconheço a  autoria)